Resenha -Trilogia: Peça-me o Que Quiser

Sinopse:  Peça-me O Que Quiser Vol. 1 – Megan Maxwell

Primeiro volume de uma trilogia, Peça-me o que quiser, da escritora espanhola Megan Maxwell, é um romance sobre desejo, paixão e erotismo sem limites. Lançada na Espanha em novembro de 2012, a trilogia é um sucesso de vendas no país, aparecendo em todas as listas de mais vendidos. Com tempero latino e uma abordagem excitante, a autora conta a história da secretária espanhola Judith Flores e seu chefe, o alemão Eric Zimmerman, também conhecido como Iceman: um homem muito sério e com os olhos azuis mais intensos e sexies que ela já viu. Recém-chegado ao comando da empresa Müller, antes dirigida por seu pai, Eric tem uma atração instantânea pelo jeito divertido de Judith e exigirá que ela o acompanhe nas viagens de trabalho pela Espanha. Mesmo sabendo que está se metendo numa situação arriscada, a ideia de estar ao lado de Iceman é irresistível. Com ele, a jovem viverá experiências sexuais até então inimagináveis, em um universo de fantasias eróticas pouco convencionais. Conciliando sexo e romantismo na medida exata, Peça-me o que quiser é uma história de amor cheia de encontros e desencontros, na qual os jogos eróticos, o voyeurismo e o desejo de ultrapassar todos os limites do prazer são os grandes protagonistas

Título Original: ‘PÍDEME LO QUE QUIERAS’

Nunca pensei que eu pudesse fazer o que estou fazendo contigo. Você me domina e me submete de tal maneira que não consigo dizer não. E não consigo dizer não porque meu corpo e eu inteirinha querem fazer todo o que você quiser. (Peça-me o que você quiser).

Peça-me o Que Quiser ou Deixe-me Vol.2- Megan Maxwell

Sozinha em Madri e mais uma vez desempregada, Judith precisa descobrir como se recuperar da separação de Eric e esquecer o tempo que passaram juntos na Alemanha. No fundo ela sabe que ainda deseja o Iceman. Sente falta dele e dos jogos eróticos que lhe davam tanto prazer. Para o alemão, a vida sem a espanhola parece ter perdido a graça. Desesperado, começa a enviar e-mails em busca de seu perdão.Neste último volume da trilogia, o casal se verá frente a frente outra vez e lutará para retomar sua relação. Mas os ciúmes e a superproteção do Iceman são motivos de constantes brigas, e Judith deverá encarar o fato de que talvez um futuro juntos não seja possível. Peça-me o que quiser ou deixe-me, Megan Maxwell conclui um das sagas eróticas mais populares da Espanha.

Enfia isso na sua maldita e quadrada cabeça alemã! Não me importo com o futuro. Só o que me importa é você… você… Você, seu cabeça-dura safado! (Peça-me o que você quiser  ou deixe-me).

Peça-me o Que Quiser, Agora e Sempre Vol. 3 -Megan Maxwell

a aguardada continuação da surpreendente história de amor e sexo entre uma espanhola e um alemão, Judith terá que tomar a decisão mais difícil de sua vida. Será que viver sua paixão é tudo o que realmente importa? Decidida a se afastar para sempre de Eric Zimmerman, Judith pede demissão da empresa Müller. Para se recuperar, resolve se refugiar por um tempo em Jerez, com seu pai. Desesperado com a partida de Jud, Eric vai atrás de seu amor. “algo tão inesperado como você está trazendo emoção a um amargurado alemão. Onde você estava durante toda a minha vida?”, confessa Iceman. Ela resiste o quanto pode, mas a atração entre eles continua forte, e as fantasias sexuais mais vivas do que nunca. Mas desta vez é Judith quem impõe suas condições, e ele deve aceitar para não perdê-la. Tudo parece bem outra vez, até que uma ligação inesperada obriga o casal a interromper a reconciliação: a família de Eric o chama com urgência, e os dois voam para Munique. Judith procura se adaptar ao novo ambiente numa cidade que lhe parece hostil. Longe de seu mundo, terá de decidir se deve de fato dar uma nova oportunidade ao relacionamento, embora tenha plena consciência do quanto o deseja: “antes eu tinha três vícios. Coca-cola, morangos e chocolate. Agora acrescento um, mais forte e poderoso, chamado Eric. Eu o desejo… Desejo e desejo. Não importa a hora, o momento ou o lugar… Eu o desejo.”. Poderá o amor vencer as diferenças e transformar suas vidas?

(…) você é o sol da minha vida e, se te vejo triste, não consigo ser feliz – sussurra em meu ouvido. (Peça-me o que quiser, agora e sempre).

(Fonte:Saraiva.com)

Mas a final quem é Megan Maxwell?

Megan Maxwell é uma reconhecida escritora do gênero romântico na Espanha. De mãe espanhola e pai americano, publicou vários romances, além de contos e relatos em antologias coletivas. Em 2010 ganhou o Premio Internacional de Novela Romántica Villa de Seseña e em 2010 e 2011 recebeu o Premio Dama de Clubromantica.com. Vive num vilarejo perto de Madri na companhia do marido, de seus filhos, seu cachorro, Drako, e seu gato, Romeo.

(Fonte: Editora Objetivo)

O que tenho a dizer…

Diferente de tudo que eu já li e igual a todos os outros. Abraçando esse novo mercado (que dizer não tão novo assim) dos livros eróticos, que após o lançamento e sucesso estrondoso de Cinquenta Tons de Cinza, Megan vem trazendo um novo universo do erotismo.

Não, o livro não aborda o BSDM, o que a autora vem nos oferecer é um novo olhar sobre o sexo, a sexualidade e o companheirismo. O que é mais incrivel nessa histoia é que ela tinha tudo para ser vulgar, e exatamente o oposto, é uma historia limpa, mesmo falando de uma pratica sexual tão julgada pela sociedade, bonit, com personagens forte e cativantes, um leve toque de drama ( qual é todo romance tem que ter) .

Trama do livro.

A trama é simples, não a um grande vilão que quer destruir os mocinhos,o que á e justamente duas pessoas de personalidades fortes, que se amam loucamente e que são o extremo oposto do outro, aprendendo a conviver e a entender seu parceiro.

Minha opinião

Antes de decidir ler essa historia deu uma visitada em blogs de resenha, em sua maioria as resenhas eram positivas, mas lê muito comentário e resenhas negativas, ate ai tudo bem, o que me chateou um pouco foi alguns argumentos usados e principalmente a indução a não leitura da obra.

Acredito que um bom leitor é aquele que ler uma obra absorve o que o autor quer dizer, pega o que não lhe é útil em algo bom. E é sempre bom lembre que não existe livro ruim, existe livro que não me atraem. Não é legal desmerecer o trabalho do outo só porque Eu não gosto.

Lembre-se cada um ler o que gosta!

Anúncios

Resenha – Não Faz Sentido: Por trás da câmera

Sinopse: Criado por Felipe Neto em 2010 sem maiores pretensões, o Não Faz Sentindo tornou-se um fenômeno da internet brasileira e o primeiro canal de vídeos em língua portuguesa a ultrapassar a marca de 1 milhão de inscritos. Confundido muitas vezes com seu personagem reclamão, Felipe Neto expõe nesta obra sua outra face, sem óculos escuros, muito diferente da que se vê em seus vídeos mais famosos.
Do garoto que se levantou da falência para a exposição meteórica (que o acabou levando à depressão); dos bastidores envolvendo o vídeo contra a série Crepúsculo ao desentendimento com celebridades; acompanhamos, com muita sinceridade, uma história de sucesso por trás dos panos.

Você conhece o Não Faz Sentindo. Agora vai conhecer a história, através de uma linguagem bem-humorada e sem nunca se levar muito a sério, pela lente de quem está por trás da câmera. E comprovar que, apesar do nome, este livro nos apresenta a história de um projeto cujo sucesso possuiu não apenas toda lógica, como também todos os motivos para se comunicar com uma geração altamente conectada, disposta a revolucionar a maneira como lidaremos com a produção e o conteúdo do entretenimento mundial.

Fiukar. Do latim: Aurelius fiuknemous.

Ato ou efeito de agir como um verdadeiro retardado,para iludir uma penca de adolescentes igualmente retardadas,de modo a deixá-las com as coas úmidas pensando que são amadas por um ídolo babaca.

Felipe? Quem é Felipe afinal?!

Felipe Neto Rodrigues Vieira (Rio de Janeiro, 21 de janeiro de 1988) é um empresário, vlogger, ator, comediante e escritor brasileiro. Ficou conhecido por ter criado um dos primeiro canais da história do YouTube brasileiro a atingir uma audiência notável e ser o primeiro a conquistar 1 milhão de assinantes no Brasil.

Hoje é o fundador e atual CEO da Paramaker, empresa de network dentro do YouTube, que é dona de canais como Parafernalha, TGS Brasil, Canal Top e ajuda também a profissionalizar o mercado de vídeos no Brasil, gerenciando 3 mil canais que estão presentes em sua network

Hoje,mais maduro,percebo que a felicidade reside,fundamentalmente,em coisas a que damos muito pouco valor na juventude.A família é a fórmula essencial da felicidade,pelo menos,no meu caso.Um relacionamento maduro e apaixonado é um milhão de vezes melhor que duzentas mulheres na sua cama,até mesmo se uma delas for a Megan Fox.Uma ida ao cinema com a pessoa que você ama supera de longe uma noite na balada regada uísque com energético e cinco mulheres no seu colo.

E o livro em?!

Divertido, principalmente e fundamentalmente divertido. Como o próprio Felipe diz

Esse não conta a historia de um humorista, ele não é engraçado e muito menos tem informações relevantes sobre algo que mudará sua vida. Não é autoajuda, não é material de escola… Aliás, não é nada. Eu quero ver como as livrarias vão classifica-lo

Com um linguajar jovem , na verdade o livro é escrito da mesma forma que ele fala em seus videos, sem tirar nem por. Irreverente, hilario, mesmo dizendo que não e engraçado, mostrando mais uma vez porque seus videos fizeram tanto sucesso.anigif

Conhecendo um pouco por trás da câmera, só mostra como aquele moleque, magricelo de óculos escuros nos fundos da casa da mãe chegou onde chegou. Felipe conta momentos divertidos, tristes e de conflitos que todos passam em certa medida, esse livro é uma ótima forma de entender o que se passa da cabeça de quem busca e tenta algo grande na vida.

É uma leitura gostosa, leve e inspiradora. Se você já sonhou alguma vez em abrir um negociou ou qualquer outra coisa e nunca fez, esse livro vai te mostra que é difícil mas nunca impossível.

Curtiu? Vai la ler e depois corre aqui e me conta o que achou.

Beijinhos de Glitter!!

#NossoObjetivoÉSatisfazer

Resenha Entre o Agora eo Nunca

Sinopse

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para a rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino. Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho.
Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois. Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos.
Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, ‘Entre o Agora e o Nunca’ é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

J.A. Redmerski ( Essa mulher não é incrível?!)

Jessica Ann Redmerski é autora best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Começou a carreira de escritora autopublicada em 2012 e com o sucesso de “Entre o agora e o nunca” logo assinou contrato com uma grande editora. Hoje seus livros já estão traduzidos em vinte idiomas.

Jessica mora em North Little Rock, no Arkansas, com três filhos, dois gatos e um cãozinho maltês. Ela adora filmes, séries e livros provocadores e é muito fã de The Walking Dead. Seus desejos incluemBATER PAPO com John Noble, Bryan Cranston e Michael C. Hall, superar sua longa lista de medos bobos, encontrar uma camisa de que realmente goste e viajar pelo mundo com uma mochila nas costas e um parceiro no crime.

(Fonte: Editora Objetivo)

O que tenho a disser

Sabe aquele livro que faz você para é prensar

– Que merda to fazendo da minha vida?

Bem esse é o livro, não é só mais um romance bobo, Camryn toma uma decisão difícil (e ate imprudente) ao pegar sua mochila e embarca numa viajem sem rumo, onde você a ver refletir sobre inúmeras coisas e aprender outras tantas.

O pior tipo de choro não era o tipo que todo mundo poderia ver, o choro nas esquinas, as lágrimas sobre a roupa. Não, o pior tipo acontecia quando sua alma chora e não importa o que você faça, não tem como confortá-la. Um pedaço murcha e vira uma cicatriz naquela parte da sua alma que sobreviveu.

 Andrew toma um ônibus como forma de protelar um encontro, varias coisas estão se passando pela sua mente. Seu pai, uma pessoa que ele ama esta sofrendo, seus irmãos estão sofrendo, ele esta sofrendo, sem falar de coisas que estão acontecendo com ele ( você vai chorar nessa parte).

— Você nunca chora? — pergunto. — Nem por outros motivos? Alguma vez você já chorou?
Ele bufa.
— Claro. Todo mundo chora, até caras fortões como eu.
— Tá, me diz uma vez.
Ele responde com facilidade:
— Um… um filme me fez chorar, uma vez — mas de repente parece constrangido, e talvez arrependido da resposta.
— Qual filme?
Ele não consegue me olhar nos olhos. Sinto o clima pesando menos entre nós, apesar do motivo por trás do peso.
— Que importa isso? — Andrew desconversa.
Sorrio e chego mais perto dele.
— Ah, conta logo, vai, que foi, acha que vou rir de você e te chamar de mulherzinha?
Ele abre um tênue sorriso por baixo do rubor constrangido do seu rosto.
Diário de uma Paixão — ele diz, tão baixo que não consigo entender direito.
Você disse Diário de uma Paixão?
— É! Chorei vendo Diário de uma Paixão, tá?
Andrew me dá as costas e eu uso todas as minhas forças para não cair na risada. Não acho nada engraçado ele ter chorado vendo Diário de uma Paixão; o que é engraçado é ele ficar tão humilhado por admitir.
Eu rio. Não consigo segurar, o riso simplesmente escapa.

Quando os dois se encontram e embarcam numa aventura muitas coisa acontecem. Descobertas pessoais, crescimento de cada um, e assim começa um romance divertido, erótico , dinâmico e lindo.

Não é mais um romance sem graça, onde a mocinha é dócil e o mocinho é fodão.  Os dois são retardados, chorões e doidos. O que só faz com que se apaixone perdidamente por eles. Sem falar no incrível playliste que a na historia, se você gosta de um bom rock clássico, este é o seu livro.

Da uma olhada.

 

Curtiu? Vai la ler e depois corre aqui e me conta o que achou.

Beijinhos de Glitter!!

#NossoObjetivoÉSatisfazer

Resenha – A morte de Sarai (Killing Sarai)

Sinopse

Sarai tinha só quatorze anos quando sua mãe a levou para viver no México em um quartel de drogas. Com o tempo ela se esqueceu do que era ter uma vida normal, mas ela nunca deixou de lado a esperança de escapar do complexo onde tem estado presa nos últimos nove anos. Victor é um assassino a sangue frio que, como Sarai, somente conheceu a morte e a violência desde que era somente uma criança. Quando Victor chega ao complexo para recolher dados e aplicar um golpe, Sarai o vê como uma chance para escapar. Mas as coisas não acontecem como o previsto, e em vez de se encontrar a caminho de Tucson, ela se encontra livre de um homem perigoso, para cair nas garras de outro. Enquanto fogem, Victor se distancia de sua natureza primitiva enquanto sucumbe a sua consciência e decide ajudar Sarai. À medida que ficam próximos, ele se encontra disposto a arriscar tudo para mantê-la com vida, inclusive sua relação com seu irmão e seu contato, Niklas que, agora como todos os outros, querem Sarai morta. Enquanto Victor e Sarai lentamente constroem uma confiança entre eles, as diferenças parecem diminuir, e uma atração pouco provável se intensifica. Entretanto, as habilidades e experiência de Victor podem não se suficientes para salvá-la, enquanto o poder que ela tem sobre ele, pode ser o que colocará fim a sua vida.

Afinal quem é  J.A. Redmerski ?

Foto -J.A. Redmerski

Jessica Ann Redmerski é autora best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Começou a carreira de escritora autopublicada em 2012 e com o sucesso de “Entre o agora e o nunca” logo assinou contrato com uma grande editora. Hoje seus livros já estão traduzidos em vinte idiomas.

Jessica mora em North Little Rock, no Arkansas, com três filhos, dois gatos e um cãozinho maltês. Ela adora filmes, séries e livros provocadores e é muito fã de The Walking Dead. Seus desejos incluemBATER PAPO com John Noble, Bryan Cranston e Michael C. Hall, superar sua longa lista de medos bobos, encontrar uma camisa de que realmente goste e viajar pelo mundo com uma mochila nas costas e um parceiro no crime.

(Fonte: Editora Objetivo)

Obras…

J.A.R

O livro e Eu!

O que falar de um livro com um nome desses ?

Ou sobre essa capa? Ou quem sabe o titulo?

Mas, devo logo e te avisando companheiro se você esta procurando um romance ao estilo Nicolas Sparks, pode esquecer!!

Não fui eu que achei o livro foi o livro que me achou, em uma das minhas andanças pela internet, no blogs de resenhas da vida, eis que acho por acidente que achei A morte de Sarai (Killing Sarai). Tenho que ser honesta com vocês, a sinopse não me cativou, o que realmente me chamou a atenção foi a capa (sim, sou uma garota de capas) e então resolve ler.

E devo admitir, não me arrepende nem por um minuto *.*

Não a mocinha fraca e chata esperando o príncipe encantado vir montado a cavalo com sua armadura dourada lhe salvar. O que ar é uma garota que já esteve e permaneceu muito tempo no inferno e que agora sabe como lidar, fugir e matar o diabo.

Passei a maior parte da minha juventude dormindo com um homem que eu não amava e com quem não queria dormir. E Javier é o único homem com quem já estive sexualmente. Vi estupros, sequestros e todas as formas possíveis de maus tratos. E vi mortes. Muitas mortes.

Sarai, sabe mentir, manipula, não tem medo por si, mais sim pelos que ela se importa, e ela sabe que o melhor para ela é fugir, mesmo que para isso ela tenha que matar e confiar que o estranho ,que da medo ao seu carcereiro, não vai mata-la. E confiança é uma coisa que Sarai não entrega a qualquer um.

Você vai pelo menos me dar uma arma?” Silêncio filtra através do espaço entre nós. “Você vai?” Pergunto novamente, agitando esse silêncio. “Isso vai me dar uma chance de lutar. Ou eu vou matar Javier ou a mim mesma, mas vou morrer sabendo que eu tentei.”

O príncipe encantado não vem a cavalo, ele prefere caros esportes, não usa armadura dourada e sim ternos sobe medida e muito menos salva donzelas indefesas com espadas e prefere muito mais ser contratado para matar seja quem for com armas requintadas e potentes.

Eu não sou seu herói. Eu não sou a outra metade de sua alma que nunca poderia deixar nada de ruim acontecer com você. Confie sempre em seus instintos primeiro, e em mim, se você escolher, por último.

Victor, não é um cavalheiro, não é meigo, não é carinhoso ou sensível.Victor é em sua natureza mais bruta um assassino, um matador letal e calculista que não tem remorso ou piedade. Quando o seu caminho é bruscamente atropelado por Sarai, ele começa a questionar e refletir sobre algumas coisa em sua sombria e perturbada vida.

Eu a abraço forte. Desajeitadamente. Porque eu nunca fiz isso antes. Eu nunca passei por este tipo de tristeza e dor e teria sido o único que seria esperado para me ajudar a consertar isso. Minha mãe era a única que tinha me segurado assim quando eu era um menino e não me lembro do jeito que eu senti.

Niklas, o irmã de Victor que não suporta a Sarai/Izabel. Nesse livro parece ciumes, e da a intender de que ele que mata-la. Esses são basicamente os três elementos centras do livro e onde a carga dramática está, claro que á muito mais, pois, esse não é mais um romance água com açúcar.

O que o livro me mostrou…

A base desse romance/drama é que: Todos somos moldados aparte/através de nossas experiências. Sejam ela impostas a nossa vida ou que nos mesmos buscamos, mais, vivenciais, traumas, escolhas (nossas, ou, de outros) experiências boas ou ruins é o que nos molda e modela para a vida.

Sarai tem o sangue de um assassino; não há mais dúvida. Eu sei que e não fiz ela dessa forma. A vida fez isso.

E que por mais que a vida esteja uma verdadeira m*@#$ nunca devemos parar de lutar e acreditar que mesmo em meio ao caos rosas podem florescer.

Bonita, mas derrotada e danificada. Danificada para o resto de sua vida e nenhuma quantidade de mutilação emocional vai dar-lhe totalmente de volta sua inocência. […] Eu não tinha certeza antes, mas agora eu sei que ela é mais instável do que eu jamais poderia ter imaginado. […] Ela é mais perigosa do que eu.

O que eu ouvir enquanto lia… 

Faixas- 1 e 6 Principalmente

Curtiu? Vai la ler e depois corre aqui e me conta o que achou.

Beijinhos de Glitter!!

#NossoObjetivoÉSatisfazer

Resenha – Procura-se Um Marido

Sinopse:

Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império — a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou. Cheio de humor, aventura, paixão e emoções intensas, Procura-se um marido vai fisgar você até a última linha.

Featured image

Afinal Que É Carina  Rissi ? 

Carina Rissi é uma leitora voraz, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo e tem um fascínio inexplicável pelo tema “amores impossíveis”. Vê nas obras de Jane Austen uma fonte de inspiração.Quando se desgruda dos livros – tanto dos que lê quanto dos que escreve –, Carina se diverte assistindo a comédias românticas ao lado da família e planejando viagens a lugares exóticos que não conhecerá tão cedo, devido ao seu pavor de avião. Ela nasceu em Ariranha, interior de São Paulo, onde mora atualmente com o marido e a filha, após ter vivido uma curta temporada na capital paulista. Seu primeiro livro, Perdida: um amor que ultrapassa as barreiras do tempo, foi publicado na Alemanha, onde entrou para as listas de mais vendidos. Procura-se um marido é seu segundo livro.

(Fonte: Skoob)

O que tenho a disser…

Sabe aquele livro que você ler por acidente? Que você não dar nada e te cativa? Procura-se Um Marido é exatamente esse tipo de livro. Você vai se apaixonar pela divertida, louca, encrenqueira, fofa, leal, doida e apaixonante Alicia. Não sabia que era um livro nacional no momento que comecei a ler. Sei falar que já tava mais do que na hora de termos livros descontraídos e que abordassem temáticas que o publico quer ler no circuito nacional.

Se vou ter que me casar pra ter direito à herança do meu avô, pode esquecer. A União pode ficar com tudo. Não tenho namorado, não acredito na instituição do casamento, não vou me casar só porque meu avô quer.

Mais voltando para a historia, o personagem do mocinho é como nem um outro Maximus  tinha um temperamento forte e sentia tudo com uma intensidade amplificada. Se estava com  raiva, fica muito puto mesmo, mas quando demostrava sua apaixão,era intenso. Fiel a sua palavra até o ultimo minuto, certinho que chegava a irritar .
Mari foi a melhor a personificação da amiga perfeita do tipo que você ver que são  amigas de verdade, sempre pronta para ajudar em um momento ruim, mesmo que isso as coloca-sem em problemas.

— Mari, aconteceu uma catástrofe! — chorei ao telefone.
— Ah, não! O que foi? Você está bem? Claro que não está bem, que pergunta imbecil! Você está ferida? O que aconteceu? Fala criatura! — cuspiu ela, sem parar para respirar.
— Me apaixonei pelo meu marido.

A escrita, capa e mensagem.

Adorei os trocadilhos que tem no decorrer da historia, a leitura é fácil, a estrutura da historia é tranquila de acompanhar, os diálogos não são maçenta, e por mais que a trama não seja tão difícil de desvendar não desmerece a historia que foi bem construída e fala tão bem sobre saber aproveitar a vida, dar valor enquanto é tempo e principalmente a estar aberta ao amor.

Max era uma incógnita para mim. Às vezes, como naquele momento, me tocava sem que eu precisasse recorrer a subterfúgios. Em outras, dava mais trabalho que cabelo alisadocom chapinha em dia de chuva.

A capa na minha nada humilde opinião traduz quem é Alicia , e do que se trata o livro, as cores, o salto jogado, a roupa desmantelada e os pés calçados com tênis diz muito sobre a dinâmica do livro

Fofo né!?

Gostou? Corre vai lá ler, mas oh não esquece de me contar o que achou.

Beijinho de Glitter!!

#NossoObjetivoÉSatisfazer

#NossoObjetivoÉSatisfazer

Resenha – Veronica decide morrer

Featured image

Sinopse:

Aos 24 anos, a eslovena Veronika parece ter tudo: juventude e beleza, pretendentes, uma família amorosa e um emprego gratificante. Mas num dia frio de novembro, ela toma um punhado de remédios para dormir com a intenção de nunca mais acordar.

Só que ela acorda – e no Sanatório de Villete, o lugar de onde ninguém jamais havia fugido. Logo fica sabendo que só teria alguns dias de vida, e isso lhe desperta emoções até então desconhecidas.

“Quando conseguiu quase tudo o que desejava na vida, chegou à conclusão de que a sua existência não tinha sentido, porque todos os dias eram iguais. E decidira morrer.”

O que tenho a disser…

Bem, o que falar de Paulo Coelho?

O homem que arrebatou o mundo literário com O Alquimista e o Diário de um Mago, não tinha como não estoura a boca do balão, muitos o intitula com auto-ajuda, outra o chama de louca, mas a maioria o ama como um mago. E como não poderia deixar de ser encantou e inspirou milhares de pessoas com a sua narrativa em Veronika Decide Morrer.

Sobre a obra…

Inspirado em sua própria historia  e experiências, Paulo Coelho escreveu Veronika decide morrer para questionar o significado da loucura e celebrar os indivíduos que não se encaixam nos padrões do que a sociedade considera “normal”.

“Quando entrei aqui era uma mulher deprimida. Hoje sou uma mulher louca e tenho muito orgulho disso. Lá fora, me comportarei como os outros. Farei compras no supermercado, conversarei trivialidades com as amigas, perderei algum tempo importante diante da televisão. Mas sei que minha alma está livre e posso sonhar e conversar com outros mundos que, antes de entrar aqui, nem sonhava que existiam.

Minhas impressões …

Por mais autobiográfica que seja ou até auto-ajuda que possam taxa essa historia, a questões importantes que são abordadas em todo o enredo. A loucura e o dito normal é colocado em cheque. A forma como as pessoas levam a vida, a felicidade e realizações. Questões essas que estão muito latente no inicio da vida adulta.

Os conflitos e demônios internos, a morte é retratada como uma fuga covarde da loucura que impomos as nossas vida. A muito mais conflitos alem do que cerca a própria Veronika, o leito acaba se vendo em todos os outros personagens e suas mais diversas formais de fugir da sua “sanidade”.

Vou me permitir fazer algumas bobagens, só para que as pessoas digam: ela saiu de Villete! Mas sei que minha alma estará completa, porque minha vida tem um sentido. Quando alguém me aborrecer muito, eu direi alguma barbaridade e não vou me incomodar com o que pensam.

A tanto “loucura ”  no livro que você passa a questionar Ns coisas em sua vida.O autor questiona se a loucura está em ser anormal ou verdadeira mente está em reprimir o seu verdadeiro eu e ser o que a sociedade quer que você seja.

Paulo mostra que muitas vezes para fugir de uma morte dolorosa todos os dias, deveria-se afogar de vez e ver no principio da morte a chama mais bela da vida.

– Todos nós já sentimos isso.

– Todos nós, de um jeito ou de outro, somos loucos.

E que as vezes, as vezes só precisamos conhecer a nós mesmos e os outros.

Auto conhecimento, descoberta do mundo e encontrar no lugar mais inesperado o que menos estava buscando: o verdadeiro amor.

Gostou? Corre vai lá ler, mas oh não esquece de me contar o que achou. 

Beijinhos de Glitter!!

#NossoObjetivoÉSatisfazer

Resenha do filme- Horns: O Pacto

 Dirigido por:  Alexandre Aja

Elenco: Daniel Radcliffe,Max Minghella,Joe Anderson, Juno Temple…

Gênero: Drama, Suspense,Terror

País:   EUA

Roteiro: Joe Hill ( O próprio *.*)

Sinopse

Um jovem de 26 anos de idade descobre um dia, quando acorda, que sua namorada foi estuprada e assassinada. Ele é imediatamente apontado como principal suspeito, o que o obriga a partir em busca do verdadeiro responsável. Sua arma será o par de chifres que crescem em sua cabeça, e forçam as pessoas que lhe encontram a revelarem seus segredos.

O que eu tenho a disser…

Que hollywood já teve sua cota de  adaptações ruins  (Forrest Gump ta ai para não me deixar mentir) todos nos sabemos. Por isso mesmo que quando os burburinhos de que Horns( Chifres) O Pacto ( em português) de Joel Hill iria para na telonas, eu pensei comigo mesma, Como será que os roteiristas imaginam ou melhor idealizam isso? Fiquei tão feliz por ser o próprio Hill a fazer o roteiro (lol) e com isso hollywood acertou em cheio ao adaptar  Hons para o cinema (Uhu!!!!). A dose certa de drama na trama cria em você uma ânsia pelo desenrolar do suspense  que a na historia ( Quem matou Merrin? ) o que cria uma vontade de  desvendar o mistério por trás da filme , o  toque de horror só faz o telespectador ficar vidrado no desenrolar da historia. O livro ( e o filme) mescla alguns gêneros literário como terror, fantasia, uma dose de drama ( que é sempre bom) e uma pitada do bom e velho suspense policial.
Outra coisa que fiquei temerosa foi: Quem iria interpretar Ignatius Martin Perrish?
Porque além das características físicas, era preciso captar a personalidade conturbada e caótica de Ig e seus sentimentos conflituosos. Quando o nome do Daniel Radcliffe apareceu como o ator responsável por dar vida ao personagem, pensei: Será uma repetição de A mulher de Preto (The Woman in Black) ?
Não, não foi uma repetição, pelo contrario, quem estava acostumado com a cara de bom moço, sonso pode esquecer !
Se o Daniel queria tirar a imagem de criança nesse filme ele conseguiu. Não só interpreta os atos , como também as emoções não falada, o conflito interno que Ig enfrenta ao decorrer da narrativa. Outro ponto que me cativou no filme foram os efeitos especial, que da um ar de surrealismo que o livro tem, o jogo de câmera e luz, que trás a sensação da loucura vivida pelo personagem.
Ah…Sem falar na trilha sonora do filme que foi mais que perfeita *O*
Faz com que tudo se torne mais intenso, vivido e confuso para quem assiste, eu simplesmente adorei as escolhas das músicas.
Horns Trilha Sonora Original do Filme
Música do Rob.
1. Bad Red (2:21)
2. Death Choir (0:34)
3. Blood Stone (2:04)
4. Surgery (1:33)
5. First Love (2:46)
6. Lift (1:58)
7. Caddie (2:30)
8. Perrishers (1:00)
9. Dry Finger (0:30)
10. Lift Orchestra (1:23)
11. Dry (1:31)
12. Red (0:27)
13. Vinyl Memory (1:50)
14. Rape (6:28)
15. Iggy Burns (1:32)
16. Copslove (0:45)
17. Terry Hospital (0:49)
18. Bad Red Reprise (2:19)
19. Last Forrest (2:40)
20. Lee’s Death (4:07)
21. Snakes (1:29)
22. Iggy’s Death (1:32)

O bom é quem usa crucifixo e o mau é quem tem um par de chifres? As aparências podem enganar.

Gostou?

Vai lá assistir e depois corre aqui e me diz o que achou.

Beijos de Glitter!

#NossoObjetivoÉSatisfazer